Observatório Social do Brasil – São Paulo participa do Seminário “33 medidas para um Brasil justo e perfeito”

Seminário realizado pelo GOSP na Câmara Municipal de São Paulo, com a presença de várias entidades, inclusive OSB-SP.

Publicado para | Destaque | Notícias em 02 de Abril de 2018 09:21

O seminário organizado pelo Grande Oriente de São Paulo (Gosp) no último dia 26/03, iniciou a apresentação das “33 medidas para um Brasil justo e perfeito” na Câmara Municipal de São Paulo. O Gosp conta com o OSB-SP quando forem abordadas as medidas relativas ao Monitoramento dos Gastos Públicos e ao exercício do Controle Social.

Foram quatro os palestrantes, cada um introduzindo uma medida, fizeram a análise do contexto brasileiro em sua área de atuação e propuseram soluções para melhorar o país. Mais de duzentas pessoas acompanharam o evento no auditório Prestes Maia, que foi transmitido ao vivo pela internet.

A abertura e o encerramento do encontro, assim como a coordenação, ficaram por conta do Grão-Mestre do Gosp, Kamel Aref Saab. “Eu fiquei satisfeito porque pude ver cabeças pensantes. Nós temos que dar um jeito no nosso Brasil. Não adianta falarmos mal. O meu país somos nós. Se não tocarmos para frente as melhores opiniões, os melhores trabalhos, as melhores organizações, será triste. É tão fácil pegar uma criança nova e começar a dar educação para ela, civismo e cidadania. Mas essa pessoa só vai estar pronta daqui trinta anos. Quanto mais nós atrasarmos isso, mais demoraremos para ter os resultados de um país justo e perfeito. E são essas iniciativas que estamos tomando”, destacou Saab.

A primeira palestra foi do futurista Gil Giardelli, considerado o maior especialista em cultura digital do país. Ele expôs a necessidade de o Brasil começar a ter pensamento de futuro, além de sugerir que para a inovação, é necessária certa desobediência. “Hoje o MIT, onde eu desenvolvo minhas pesquisas, está pagando para qualquer pessoa do mundo US$250 mil dólares para quem for desobediente dentro da ética. O campo da inovação, do avanço científico e do avanço social passa pelos desobedientes dentro da ética. Aqueles que desafiam o status quo”, salientou Giardelli.

Na sequência, o coronel Valério Luiz Lange trouxe diretamente de Brasília os conceitos trabalhados no Sistema de Planejamento Estratégico do Exército (SIPLEx). Entre formulações geopolíticas, o palestrante explicou a importância da instituição para manter o país soberano. “Defendido, o Brasil terá como dizer não, quando tiver que dizer não. Terá capacidade para construir seu próprio modelo de desenvolvimento”, disse.

O doutor e livre-docente em Direito pela USP, Márcio Pugliesi, palestrou sobre gestão ecossistemica. “Em produção de tecnologia, o Brasil é praticamente nulo. Eu tive a idade de ver o momento em que o Brasil decidiu comprar tecnologia em lugar de exportar cérebros para trazê-los de volta. Esse soft power o Brasil não sabe praticar. Esquecem de mandar estudiosos para fora do país para que aprendam tecnologia e tragam para cá. Enquanto não se falar e não se trabalhar para se ter o primeiro degrau de tecnologia, o valor agregado das nossas exportações será sempre pequeno”, considerou o jurista.

A última palestra do dia foi do desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo, Antônio Marques Silva, sobre a segurança no mundo fenomênico e virtual. O estudioso apontou o grande valor que a população dá para as redes sociais, que acaba abrindo portas para problemas dos mais variados, desde roubos programados a distorção da percepção de realidade. “Você compra um pacote de mil visualizações por RS17,00. Tem muita gente que tem 2 milhões de seguidores ou curtidas, mas se morrer não vai ter oito pessoas para levar o caixão.”

O presidente da Poderosa Assembleia Estadual Legislativa de São Paulo (PAEL), também presente, aproveitou para explanar que os três poderes na Maçonaria paulista estão independentes e harmônicos entre si, o que permite a união em diversas iniciativas como as 33 medidas. Já o secretário de Relações Públicas do Gosp, Roque Cortes Pereira, ressaltou a qualidade das palestras. “Isso aqui foi o início das 33 medidas e começamos muito bem, com discussões que vão mudar o Brasil na prática. Agora é importante que os irmãos fiquem ligados nas próximas 29, pois ainda iremos divulgar todas as datas”, concluiu.

Compuseram a mesa, além dos palestrantes e irmãos citados, o ex-presidente da OAB/SP, Flavio Borges D’Urso; o procurador do Gosp, Walter Teixeira; o general Handel Fayad; o general Paulo Alipio Branco Valença; e o vice-presidente do Instituto de Lideranças Empresariais do Estado de São Paulo, Alexandre Pompeu.

Fonte: Secretaria Estadual de Relações Públicas do Gosp

Veja outras publicações das mesmas tags: | |

ObservatórioSocial do Brasil - São Paulo (OSB-SP)

O Observatório Social (OS) é um espaço para o exercício da cidadania, que deve ser democrático e apartidário e reunir o maior número possível de entidades representativas da sociedade civil, com o objetivo de contribuir para a melhoria da gestão pública na cidade de São Paulo.